quinta-feira, 6 de maio de 2010

Mini conto- arquivo: Santinha

Acorda com o choro do filho da vizinha, quer dormir mais. Não suporta o choro que vem, invade tudo, tapa os ouvidos com o lençol. Ainda bem que tem o ventre seco, Deus sabe o que faz, dizia a mãe, vai ver tinha razão, a velha.

Lembra do sonho do beijo. Santinha, ele disse na carta de ontem- envia mensagens de santos- fazem mal. E se não passar adiante será condenada? Ou já é condenada pelo amor proibido?
Ele a beijava com pressa, sem envolvê-la com os braços. Beijo frio.

Diz na carta de ontem:

Tenho saudades de ti, Santinha.
Beijo na boca.
Do teu amor,
José

Não estranha, é mais um que se vai, já sabe.

Um comentário:

Maria Muadiê disse...

seus contos são ótimos.