terça-feira, 6 de abril de 2010

Mini conto - arquivo- As pedrinhas transparentes




As pedrinhas transparentes



Aos domingos, na praia, catava pedrinhas, escolhia as transparentes. Gosta de transparências.

Um dia um homem se abaixou e lhe ofereceu uma pedrinha. Seguiram juntos catando pedrinhas. Acompanhou-a até sua porta, despediu-se com um ‘até domingo’. Ela sentiu algo diferente. Há muito não tinha contato com homens.

Esperou ansiosa o domingo. Saiu antes da hora de sempre, da calçada viu o homem à beira mar. Foi em sua direção, tímida.
Ele sorriu e seguiram caminhando pela areia. Falavam pouco, ela desacostumada de falar, ele só dizia o essencial.

No terceiro domingo, ele entrou em sua casa. Ela havia preparado a casa, sabia o que ele viria.
Se amaram ali na sala, no chão sobre a colcha que cobria o sofá. Ela desejou aquele homem em sua vida.
Enquanto ele se vestia, pegou um copo de conhaque, que o ex- marido usava, colocou as mais belas pedrinhas dentro, sobre as pedrinhas um caramujo. Ele não disse obrigado, apenas olhou com olhos de surpresa.
Quando se despediram, ele disse: “Até mais”. Não sabia o que ele queria dizer, mas não perguntou. Intuiu algo. Sentiu-se estranha, talvez não devesse ter dado as pedrinhas. Mas, e se ele voltasse mais tarde? Era domingo, poderiam sair.
Nada sabia dele.

No domingo seguinte ele não estava na praia. Pensou tantas coisas: poderia estar viajando, doente, viria mais tarde... Ele não veio. Esperou até o sol se pôr e sentir frio.

Os domingos passaram a ser vazios, já não o buscava mais entre outros rostos.
Não se importa mais com as pedrinhas, às vezes vê uma que gosta muito, pega, olha na palma da mão, e a devolve para o mar.

4 comentários:

Anônimo disse...

Eu também gosto de pedrinhas.
Bonito conto, a sensação de que algo falta, é algo bonito, porém triste.
Sensação de que já senti isso. E vc?
belo conto, gamei.
com amizade
madoka

Francisco Sobreira disse...

Eliane,
Desculpe a demora em responder à sua consulta lá no Luzes. Toda quinta, pela manhã, eu estou no Café Santa Clara, do Midway, em torno de 11 horas. Se for conveniente pra você, me diga. Se não, proponha outro dia e horário. Certo? Um abraço.

Fernando Zanforlin disse...

Quando fores ao Café Santa Clara, se fores, não leve pedrinhas, tampouco caramujo. Não leve nada, nem esperança.
abs.

Anônimo disse...

as pedrinhas... conheço-as de algum lugar... ;)

@ralouise