sexta-feira, 16 de julho de 2010

Mini conto- arquivo: Um amor sem face




Esta semana não o entrou na internet, é a primeira vez que desaparece. Fica horas em frente da tela e nada.
Se correspondem há três anos. Logo notou que ele sabia escrever, gostava das palavras que usava. Acabaram amigos virtuais, amantes clandestinos.
Não sabe quase nada dele, apenas que é engenheiro, vive com dois filhos. Nunca falou da mulher, nem ela perguntou. Uma vez, ela disse: “Irei até ai estes dias, tenho que fazer uma compra”. Ele não manifestou desejo de vê-la, ela não disse nada.
Nunca se viram nem em foto. Algumas vezes teclam uns minutos e ele diz: "Preciso te ouvir hoje". Só ele telefona.
Está se mudando para perto dele, desta vez ele disse: "Quem sabe nos encontramos?". Ela tem calafrios só de pensar num encontro. Talvez fiquem assim, se amando de longe, um amor sem face.
Todas as semanas ela se arruma como se fosse encontrá-lo, não sai de casa, apenas o espera em frente à tela e pensa:
"Quem sabe ele não virá neste fim de semana?"
Espera que ele adivinhe o seu desejo.

Um comentário:

Eduardo P.L disse...

Elianne,

essas brincadeiras podem acabar mau. srsrs
Vim ver a CADEIRA e não encontrei! Mas valeu, vi e li coisas muito interessantes!
Bjs e bom fim de semana!
"ELE" vai aparecer.... srsrs